O Arquivo da Cúria do Rio

logo-arquidiocese-de-sao-sebastiao-do-rio-de-janeiroDentre as tantas fontes documentais de que os historiadores dispomos para o estudo do Rio de Janeiro colonial destaca-se o Arquivo da Cúria Metropolitana da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Atualmente, o Arquivo funciona de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 16h30.

Por sorte, os registros de nascimento, casamento e óbito das mais antigas freguesias cariocas já foram digitalizados e podem ser consultados no site Family Search, o qual também permite o download do material.

No entanto, fique atento! Por confusão, parte dos registros referentes à Santa Rita estão na pasta do Santíssimo Sacramento da Antiga Sé.

Naturalmente, os registros de Santa Rita anteriores à sua ereção como paróquia em 1751 devem ser buscados na pasta de Nossa Senhora da Candelária, de cuja freguesia Santa Rita fora capela até então.

O passado e o futuro do patrimônio cultural carioca

Mesa sobre os novos marcos culturais do Rio de Janeiro, durante o workshop Caminhos da Memória: marcos da paisagem cultural carioca, realizado a 4/9/2017 no Arquivo Nacional:

Alterações e embargos: entraves no resgate de uma memória portuária
     Antônio Carlos Higino da Silva, historiador (PPGHC/UFRJ)
   Cidade Nova e HESFA, sobre rupturas e permanências
     Eliara Beck Souza, arquiteta e urbanista (DIPRIT/ETU/UFRJ)
   Vestígios da memória como vetores da cidade na Freguesia de Santa Rita
     João Carlos Nara Jr., arquiteto e arqueólogo (Museu Nacional/UFRJ)

Cartografia carioca e transformações históricas

Mesa sobre os marcos geográficos do Rio de Janeiro, durante o workshop Caminhos da Memória: marcos da paisagem cultural carioca, realizado a 4/9/2017 no Arquivo Nacional:

Fortificações militares e acidentes geográficos
     Francisco José Correa Martins, historiador (DEGEO/UFRRJ)
   Análise espaço-temporal e toponímica do Rio de Janeiro
     Paulo Márcio Leal de Menezes​, geógrafo (PPGG/UFRJ)
   Aplicação da geofísica para a reconstrução histórica do Rio de Janeiro
     Gleide Dias, geofísica (IGEO/UFRJ)

Símbolos clássicos espalhados pelo Rio de Janeiro

Mesa sobre os marcos clássicos do Rio de Janeiro, durante o workshop Caminhos da Memória: marcos da paisagem cultural carioca, realizado a 4/9/2017 no Arquivo Nacional:

Signos da civilização: memória, patrimônio e instituições no Brasil Imperial
     Mariáh Martins, historiadora da ciência (Museu Nacional/UFRJ)
   De onde vem essa nação? Os fios e os rastros do projeto nacional brasileiro
     Leonardo Amatuzzi, arqueólogo (Museu Nacional/UFRJ)
   Patrimônio ressignificado e ação do poder público
     Andre Angulo, museólogo (Museu da República)