Dia de Santa Rita: a coroa da humildade

Sarcófago de Santa Rita, com seu corpo incorrupto, em Cássia, na Úmbria, Itália

Hoje, 22 de maio, é a memória litúrgica da taumaturga italiana Margherita Loti, conhecida como Rita de Cássia. Em sua cidade, Cascia, na igreja de seu mosteiro, é possível visitar seu túmulo. Nele vai escrito:

POSVISTI IN CAPITE EIVS CORONAM

Essa divisa, puseste uma coroa em sua cabeça, alude ao estigma de um espinho da coroa de Cristo que ela recebeu na fronte após pedir em suas orações que pudesse participar das dores da sua Paixão.

Palma triplamente coroada, no intradorso do arco cruzeiro da Matriz de Santa Rita

O singular fenômeno místico fez com que, na iconografia, Rita passasse a ser representada com a palma, atributo típico dos mártires.

Ou seja: mesmo sem ter passado pelo martírio, ela recebe na Igreja a honra dos mártires, pois se tornou partícipe da Paixão, isto é, sofreu a compaixão, como aquelas Santas Mulheres que estiveram ao pé da cruz do Salvador, ao lado de São João Apóstolo e Maria Santíssima.

Seu atributo vem completado por três coroas, representação de seu matrimônio e dois filhos, mas também dos três estados de vida pelos que passou: donzela, esposa e religiosa.

A oração coleta da memória de Santa Rita faz menção justamente à lógica sobrenatural que subverte os valores humanos:

Ó Deus, grandeza dos humildes, que fizestes santa Rita de Cássia distinguir-se pela caridade e paciência, dai-nos, por suas preces e méritos, a graça de amar-vos sempre, carregando a cruz de cada dia.


OpenEdition sugere que esta publicação seja citada da seguinte forma:
João Carlos Nara Jr. (22 de Maio de 2019). Dia de Santa Rita: a coroa da humildade. FREGUESIA DE SANTA RITA DO RIO DE JANEIRO. Recuperado em 15 de Julho de 2024 de https://doi.org/10.58079/tvm6


Publicado por

João Carlos Nara Jr.

Arquiteto e Urbanista (UFF), doutor em História Comparada (UFRJ), mestre em Arqueologia (Museu Nacional/UFRJ) e licenciado em História (UniRio). Assessor de Patrimônio Cultural do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ. Foi Coordenador-geral do Projeto Resgate de documentação histórica Barão do Rio Branco e Membro da seção brasileira da Comissão Luso-Brasileira para Salvaguarda e Divulgação do Patrimônio Documental (COLUSO) de 2020 a 2022. Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (IHGRJ). Dedicou-se à preservação do Patrimônio Cultural em âmbito federal como Diretor Executivo da Fundação Biblioteca Nacional (2022), Coordenador de Cooperação Institucional da Fundação Biblioteca Nacional (2020-2021), chefe substituto da Equipe de Engenharia do Arquivo Nacional (2019-2020) e arquiteto do Escritório Técnico da UFRJ (2013-2018). Pesquisa o Rio de Janeiro colonial e tem interesse por hodologia (rotas, caminhos e métodos), abordagem 4A (Arquitetura, Arte, Arqueologia, Antropologia) e enfoque OPEN (objetos, práticas, entornos e narrativas). Coordena atualmente o projeto Identificação e exposição dos documentos históricos relativos ao processo de Independência do Brasil, aprovado no âmbito do Edital da FAPERJ: Programa Apoio a Projetos no Âmbito do Bicentenário da Independência do Brasil (2021-2024).

4 comentários em “Dia de Santa Rita: a coroa da humildade”

  1. Ola João Carlos,
    Parabéns pelas informações sobre Santa Rita de Cássia.
    Parabéns pelas suas formações e sua dedicação. 📚
    Um abraço.
    Que santa Rita te proteja.🙋🏻‍♂️🙏

  2. Que conteúdo rico em detalhes e informações desconhecidas sobre minha santa de devoção! Que Deus te abençoe João Carlos Nara e obrigada por compartilhar tamanho tesouro intelectual.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search