ImagináRio | ImagineRio

Visite a plataforma criada por pesquisadores da Rice University Humanities Research Center, agora reformulada.

Ela consiste em um atlas dinâmico que ilustra a evolução urbana do Rio de Janeiro ao longo de toda a sua história, com base em cartografia de época, iconografia e dados arquitetônicos.

Em conformidade com algumas deduções do meu livro Arqueologia da Persuasão, a igreja de Santa Rita aparece no mapa a partir de 1702. No entanto, um estudo mais acurado dos dados fundiários permitiu constatar que o terreno da igreja só foi comprado em 1718 e que a sua primeira pedra foi lançada em 1719. A capela-mor foi doada à mitra em 1721 e a nave foi concluída em 1728.

Em breve desceremos a mais detalhes sobre a cronologia da edificação.


OpenEdition sugere que esta publicação seja citada da seguinte forma:
João Carlos Nara Jr. (11 de Julho de 2018). ImagináRio | ImagineRio. FREGUESIA DE SANTA RITA DO RIO DE JANEIRO. Recuperado em 15 de Julho de 2024 de https://doi.org/10.58079/tvl6


Publicado por

João Carlos Nara Jr.

Arquiteto e Urbanista (UFF), doutor em História Comparada (UFRJ), mestre em Arqueologia (Museu Nacional/UFRJ) e licenciado em História (UniRio). Assessor de Patrimônio Cultural do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ. Foi Coordenador-geral do Projeto Resgate de documentação histórica Barão do Rio Branco e Membro da seção brasileira da Comissão Luso-Brasileira para Salvaguarda e Divulgação do Patrimônio Documental (COLUSO) de 2020 a 2022. Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (IHGRJ). Dedicou-se à preservação do Patrimônio Cultural em âmbito federal como Diretor Executivo da Fundação Biblioteca Nacional (2022), Coordenador de Cooperação Institucional da Fundação Biblioteca Nacional (2020-2021), chefe substituto da Equipe de Engenharia do Arquivo Nacional (2019-2020) e arquiteto do Escritório Técnico da UFRJ (2013-2018). Pesquisa o Rio de Janeiro colonial e tem interesse por hodologia (rotas, caminhos e métodos), abordagem 4A (Arquitetura, Arte, Arqueologia, Antropologia) e enfoque OPEN (objetos, práticas, entornos e narrativas). Coordena atualmente o projeto Identificação e exposição dos documentos históricos relativos ao processo de Independência do Brasil, aprovado no âmbito do Edital da FAPERJ: Programa Apoio a Projetos no Âmbito do Bicentenário da Independência do Brasil (2021-2024).

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search