Oficinas sobre Santa Rita no IPN

Três oficinas sobre Santa Rita serão apresentadas ao longo do ano no Instituto Pretos Novos (sempre às 19h):

15 de abril: Cemitério de Pretos Novos de Santa Rita (1741-1774)
PRETOS NOVOS: Quem eram? Fazer memória.
O CEMITÉRIO: Onde ficava? Tamanho e duração.
OS REMANESCENTES: Obras do VLT e pesquisas acadêmicas.

28 de Julho: Moléstias, medicinas e feitiços no Rio de Janeiro colonial
O século XVIII testemunhou transformações significativas para a relação das pessoas com a saúde física e espiritual. Serão abordados três aspectos intimamente relacionados no período: o processo de secularização, a desconfiança diante das terapias afro-brasileiras e os primórdios da medicina científica.

19 de agosto: Cemitério de Pretos Novos de Santa Rita: funeral, purificação e ancestralidade
Entre cerca de 1741 e 1774, antes de o tráfico escravagista carioca passar a funcionar no Valongo, os pretos novos eram enterrados no cemitério de Santa Rita. Só é possível captar o valor e o potencial desse lugar de memória com uma compreensão abrangente que integre arqueologia, antropologia e escatologia.

Guarde as datas para se inscrever!


Publicado por

João Carlos Nara

Arquiteto e Urbanista (UFF) dedicado à preservação, promoção e difusão do Patrimônio Cultural no âmbito da União. Atual Diretor Executivo da Fundação Biblioteca Nacional. Coordenador do Centro de Memória do Projeto Resgate. Licenciado em História (UniRio), Mestre em Arqueologia (Museu Nacional/UFRJ) e Doutor em História Comparada (UFRJ). Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro. Pesquisa o Rio de Janeiro colonial e, mais especificamente, a freguesia de Santa Rita, responsável pelos cemitérios de pretos novos cariocas, cuja matriz é detentora da primeira decoração religiosa rococó nas Américas. Tem interesse por hodologia (rotas, caminhos e métodos), pela abordagem 4A (Arquitetura, Arte, Arqueologia, Antropologia) e pelo enfoque OPEN (objetos, práticas, entornos e narrativas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search