Oficinas sobre Santa Rita no IPN

Três oficinas sobre Santa Rita serão apresentadas ao longo do ano no Instituto Pretos Novos (sempre às 19h):

15 de abril: Cemitério de Pretos Novos de Santa Rita (1741-1774)
PRETOS NOVOS: Quem eram? Fazer memória.
O CEMITÉRIO: Onde ficava? Tamanho e duração.
OS REMANESCENTES: Obras do VLT e pesquisas acadêmicas.

28 de Julho: Moléstias, medicinas e feitiços no Rio de Janeiro colonial
O século XVIII testemunhou transformações significativas para a relação das pessoas com a saúde física e espiritual. Serão abordados três aspectos intimamente relacionados no período: o processo de secularização, a desconfiança diante das terapias afro-brasileiras e os primórdios da medicina científica.

19 de agosto: Cemitério de Pretos Novos de Santa Rita: funeral, purificação e ancestralidade
Entre cerca de 1741 e 1774, antes de o tráfico escravagista carioca passar a funcionar no Valongo, os pretos novos eram enterrados no cemitério de Santa Rita. Só é possível captar o valor e o potencial desse lugar de memória com uma compreensão abrangente que integre arqueologia, antropologia e escatologia.

Guarde as datas para se inscrever!



Citar este post
João Carlos Nara Jr. (2021, 17 Fevereiro). Oficinas sobre Santa Rita no IPN. O “CASE” SANTA RITA (RIO DE JANEIRO). Recuperado em 29 de Fevereiro de 2024, de https://doi.org/10.58079/tvnq

Publicado por

João Carlos Nara Jr.

Arquiteto e Urbanista (UFF), doutor em História Comparada (UFRJ), mestre em Arqueologia (Museu Nacional/UFRJ) e licenciado em História (UniRio). Assessor de Patrimônio Cultural do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ. Foi Coordenador-geral do Projeto Resgate de documentação histórica Barão do Rio Branco e Membro da seção brasileira da Comissão Luso-Brasileira para Salvaguarda e Divulgação do Patrimônio Documental (COLUSO) de 2020 a 2022. Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (IHGRJ). Dedicou-se à preservação do Patrimônio Cultural em âmbito federal como Diretor Executivo da Fundação Biblioteca Nacional (2022), Coordenador de Cooperação Institucional da Fundação Biblioteca Nacional (2020-2021), chefe substituto da Equipe de Engenharia do Arquivo Nacional (2019-2020) e arquiteto do Escritório Técnico da UFRJ (2013-2018). Pesquisa o Rio de Janeiro colonial e tem interesse por hodologia (rotas, caminhos e métodos), abordagem 4A (Arquitetura, Arte, Arqueologia, Antropologia) e enfoque OPEN (objetos, práticas, entornos e narrativas). Coordena atualmente o projeto Identificação e exposição dos documentos históricos relativos ao processo de Independência do Brasil, aprovado no âmbito do Edital da FAPERJ: Programa Apoio a Projetos no Âmbito do Bicentenário da Independência do Brasil (2021-2024).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search