Devoção à Santa Rita no Brasil

Santa Rita de Cássia (óleo do século XVII)

Há cerca de dois anos, o clube do livro gaúcho Minha Biblioteca Católica lançou o clássico Vida de Santa Rita de Cássia, do Pe. José Rodrigues Cabezas.

Nessa ocasião, produziram um curta-metragem sobre a devoção da taumaturga italiana no Brasil e no qual as crônicas da matriz de Santa Rita no Rio de Janeiro recebem grande destaque.

O breve documentário é bastante fiel às informações historiográficas. Vale a pena, porém, atentar para algumas raras imprecisões:

  • O papa Bento XIII não autorizou a construção da capela em 1724. Nesse ano ele foi eleito bispo de Roma, mas a pedra fundamental de Santa Rita já tinha sido lançada em 1719. O que de fato fez Bento XIII foi conceder um Breve Apostólico autorizando os Nascentes Pinto a utilizar o templo como capela particular da família.
  • Em 1710, os Nascentes Pinto iniciaram a novena de Santa Rita no Rio de Janeiro, ao redor do quadro à óleo conservado pela família, que já vivia na cidade há pelo menos 15 anos.
  • Frei Francisco de São Jerônimo não se opôs ao padroado requerido por Manoel Nascentes Pinto, pois o bispo morrera seis dias antes de ser feita tal exigência descabida. A oposição à família foi sustentada pelo cabido da diocese, cuja sede ficou vacante por quatro anos.
  • A fonte curadora não é a que aparece no vídeo. A fonte está selada atualmente. O que é exibido é o lavabo da sacristia, peça de mármore embrechado, muito valiosa.

Publicado por

João Carlos Nara

Arquiteto e Urbanista (UFF) dedicado à preservação, promoção e difusão do Patrimônio Cultural no âmbito da União. Atual Diretor Executivo da Fundação Biblioteca Nacional. Coordenador do Centro de Memória do Projeto Resgate. Licenciado em História (UniRio), Mestre em Arqueologia (Museu Nacional/UFRJ) e Doutor em História Comparada (UFRJ). Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro. Pesquisa o Rio de Janeiro colonial e, mais especificamente, a freguesia de Santa Rita, responsável pelos cemitérios de pretos novos cariocas, cuja matriz é detentora da primeira decoração religiosa rococó nas Américas. Tem interesse por hodologia (rotas, caminhos e métodos), pela abordagem 4A (Arquitetura, Arte, Arqueologia, Antropologia) e pelo enfoque OPEN (objetos, práticas, entornos e narrativas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search